sexta-feira, maio 14, 2021
Google search engine
InícioFoodTech EXPO reúne lideranças mundiais do setor de alimentos
Array

FoodTech EXPO reúne lideranças mundiais do setor de alimentos

Plataforma Virtual 9/4/2021 – O Brasil está entre os maiores produtores e exportadores de grãos e proteínas do mundo e entendemos que precisamos agregar mais valor à cadeia, do campo à mesa.

FoodTech EXPO reúne em sua segunda edição as principais lideranças mundiais do setor de alimentos

O FoodTech Hub Br realizou em 17/03/21 o primeiro dia do FoodTech EXPO – a segunda edição do evento que reuniu grandes lideranças do setor de alimentos do Brasil e do mundo.

Com patrocínio das empresas Givaudan, BRF, Coperion e Döhler, o evento virtual contou com 15 palestrantes sobreeminentes de diferentes países e a apresentação de 76 startups – quase o dobro da primeira edição realizada em 2020.

Os holofotes colocados sobre as startups é uma iniciativa importante tomada pelo FoodTech Hub Br para que novas ideias ganhem visibilidade. Dessa forma, podem alcançar as alçadas capazes de viabilizar e ampliar as inovações que, de fato, tragam melhorias sustentáveis em toda a cadeia produtiva de alimentos.

O FoodTech Hub EXPO – conta também com o apoio da ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos) e da ABIR (Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas).

Palestras falam das transformações trazidas pelas inovações

A mediação do evento foi liderada por Paulo Silveira, ex-executivo da indústria brasileira de alimentos, idealizador e CEO do FoodTech Hub Br. Dentre os palestrantes, nomes como Andy Zynga (CEO EIT-Food-Bélgica), Jonathan Berger (CEO The Kitchen Hub-Israel) e Scott May (CEO Mista Food EUA) marcaram presença e compartilharam atualizações sobre o cenário do setor em seus ecossistemas.

Dentre os assuntos trazidos por essas lideranças, as inovações presentes em Israel, Estados Unidos e Cingapura se destacam, pois demonstram evoluções que trazem ganhos expressivos em processos, produtividade e sustentabilidade por meio da tecnologia.

Ações sobre Food Loss

Segundo dados da FAO, estima-se que 13% do total de alimentos produzidos no Brasil, se perdem antes mesmo de serem comercializados. Um percentual expressivo, ainda mais considerando a quantidade de pessoas que deixam de ser beneficiadas.

De acordo com Paulo Silveira é preciso que sejam tomadas ações direcionadas: “Para evitar esse volume de desperdício é preciso utilizar menos os recursos naturais e trabalhar para reduzir a emissão de gases de efeito estufa”.

Reforçando a preocupação e indo além de reconhecer o problema, a Bayer traz, por meio do Life Hub São Paulo, o lançamento do Food Loss Challenge em parceria com o FoodTech Hub Br.
Dentre os objetivos da iniciativa, destaca-se a meta de identificar startups brasileiras disruptivas e com foco na redução de desperdícios na cadeia de produção de frutas e hortaliças.

As inscrições já estão abertas e o formulário para participação pode ser acessado na página dedicada foodlosschallenge.com.br – onde também está disponível o regulamento.

Todas as empresas terão seu perfil analisado com critério, aquelas que se qualificarem para o desafio terão seus nomes divulgados no mês de agosto e as vencedoras no mês de setembro.

A importância de fomentar a sustentabilidade dentro do setor

Sustentabilidade foi um assunto muito difundido pelos participantes e Matheus Ferreira – Coordenador de Inovação do Sistema CNA/Senar – ressalta que esse assunto deve ser abordado desde cedo:
“É preciso que o tema de sustentabilidade esteja presente na educação, principalmente dos produtores do futuro, bem como outros temas de igual importância como – geopolítica, tendências de consumo, economia e novas tecnologias”.

Sustentabilidade anda de mãos dadas com o combate ao desperdício de alimentos.

Estudos sobre dieta e nutrição validam a qualidade dos alimentos produzidos pela indústria

Fernanda Martins – Gerente Sênior de Saúde e Nutrição da América Latina na Unilever Brasil – apresentou dados interessantes advindos de estudos que demonstram que há controvérsias quanto à afirmação de que os alimentos industrializados sejam piores do que aqueles que são preparados em casa.

“Os alimentos processados são vistos e categorizados como grandes fontes de sódio e baixa qualidade nutricional, contudo, o resultado de um estudo sobre o tema apontou que o maior índice de consumo de sódio vem da adição feita no momento de preparar os alimentos em casa”.

De fato, a indústria tem melhor controle sobre as receitas produzidas e as quantidades ideais de cada ingrediente, pois isso faz parte da garantia de segurança dos alimentos comercializados. Além disso, o desenvolvimento de alimentos em grande escala segue uma série de critérios de cunho científico.

Paulo Silveira destaca: “No Brasil, a divulgação de informações como essa precisa ser ampliada, pois a falta delas contribui para que haja resistência por parte da população na aceitação de novas propostas de alimentos”.

O Brasil produz e exporta toneladas de alimentos para abastecer empresas do setor, a combinação assertiva de ingredientes é capaz de proporcionar alimentos de alto calibre nutricional, entretanto, a biodiversidade disponível ainda é pouco explorada. Afirma Paulo Silveira e completa: “O Brasil está entre os maiores produtores e exportadores de grãos e proteínas do mundo e entendemos que precisamos agregar mais valor à cadeia, do campo à mesa”.

A iniciativa do FoodTech Hub Br nasceu em 2018 e agrega em seu ecossistema os principais tomadores de decisão e interessados nas inovações desse mercado:

• Órgãos governamentais/Não governamentais;
• Institutos de pesquisas;
• Empresas;
• Universidades;
• Foodtech startups;
• Ventures.

Paulo Silveira destacou o potencial do Brasil no mercado de alimentos e apontou a necessidade de alinhamento entre as principais áreas que trabalham e movimentam essa cadeia produtiva:

“O Brasil possui uma ampla diversidade, mas para explorar corretamente nossos recursos, a integração de todos os atores que assumem papéis de liderança nos diversos ecossistemas, precisam adotar uma postura colaborativa para que possamos desenvolver em conjunto estratégias eficientes que cubram todas as necessidades do mercado de alimentos”.

Website: http://www.foodtechhub.com.br

RELATED ARTICLES

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments